SIGA NAS REDES SOCIAIS
06/11/2018 11h20

DOURADOS: ‘Você vai ver o inferno’, diz condenado ao ameaçar juiz em audiência


Redação 96FM
CAMPO GRANDE NEWS

 

Gian Piero Angelim Bussu (1º à direita) no dia em que foi preso com outros membros da quadrilha (Foto: Arquivo)

O juiz Cesar de Souza Lima, titular da 3ª Vara Criminal e presidente do Tribunal do Júri em Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, foi ameaçado por um presidiário nesta segunda-feira (5).

A ameaça ocorreu durante audiência por vídeo conferência, no momento em que o juiz comunicava a Gian Piero Angelim Bussu, 30, o “Alemão” que ele perderia o direito ao regime aberto e voltaria para o semiaberto por descumprir regras da progressão de regime.

“Você conhece o inferno? Você vai ver o inferno”, afirmou Alemão ao juiz. Após encerrar a audiência, Cesar de Souza Lima foi até a 1ª Delegacia de Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência contra o presidiário, que cumpre pena por roubo majorado.

Alemão tinha sido preso em Dourados, em fevereiro de 2016 pela Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira).

Ele e outros quatro membros da quadrilha atraíram um caminhoneiro de 64 anos de Nova Alvorada do Sul para Dourados, para roubar o caminhão, que seria levado para o Paraguai. Mas o assalto foi descoberto e o grupo preso em flagrante.

Condenação – Em maio de 2017, Gian Piero Angelim Bussu foi condenado a seis anos, dois meses e 20 dias de reclusão em regime fechado, no presídio de Naviraí.

No dia 28 de junho do ano passado, a Justiça autorizou a progressão para o regime semiaberto e permitiu a Gian trabalhar em empresas conveniadas com a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

Na época, ele estava internado na Santa Casa de Naviraí, com problemas psiquiátricos. O juiz da Vara de Execução Penal do Interior, Alexandre Antunes da Silva, concedeu autorização para Gian Bussu ficar três meses em tratamento, sem escolta policial, no Hospital Psiquiátrico Drº Adolfo Bezerra de Menezes, em Paranaíba.

No dia 11 de abril de 2018, o juiz César de Souza Lima, o mesmo que foi ameaçado hoje, concedeu ao condenado o livramento condicional, mediante uma série de medidas que Gian teria de cumprir, como arrumar emprego, comparecer mensalmente ao Juízo e não sair de casa após as 22h.

Em 24 de maio, César de Souza Lima determinou que Gian voltasse para o regime semiaberto por ele não comparecer para assinar o termo na Justiça e expediu novo mandado de prisão, cumprido no dia 14 do mês seguinte, em Campo Grande, onde Gian foi localizado.

Ameaça – Na audiência via vídeo conferência desta segunda-feira, o juiz revogou o livramento e determinou o restabelecimento do regime semiaberto. Entretanto, ao ser informado da revogação, o preso ameaçou o magistrado.

“Com cometimento deste novo crime, existe a possibilidade da regressão cautelar de regime. Desse modo, determino a regressão cautelar de Gian Piero Angelim Bussu, para o regime fechado e determino a abertura de inquérito policial para apuração do fato e instauração de sindicância”, decidiu César de Souza Lima.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *